Uncategorized

SAÚDE FÍSICA E EMOCIONAL

Olá Pessoal,
Tenho recebido comentários de pessoas me cobrando novidades sobre o emagrecimento e o diabetes. Importante dizer que não posso ficar nem um segundo distraída pois a gula pode sabotar todo o processo. Estou parada na perda de peso. Ainda faltam 3 quilos para a meta e continuo firme no exercício e no controle alimentar. Adorei a bicicleta para percursos curtos no bairro. Além de não sentir a dor crônica que tenho no tornozelo pois não sobrecarrego os pés, a sensação de liberdade proporcionada pela atividade é maravilhosa. Até para o trabalho tenho me arriscado na bike. Mas a verdade é que mesmo eu me dedicando ao máximo aos meus desafios diários, parece que profissionalmente meu desempenho não tem dado bons resultados. Sentir-me forte e poderosa a base de medicamentos não tem me dado vitórias profissionais e sobra-me a pergunta: vale a pena sentir dor física e emocional à toa? 
Por isso parei novamente para repensar minha trajetória. Quais as opções que tenho para me restabelecer fisicamente e mentalmente? Um trabalho que não me exija fisicamente e eu possa suportar a dor crônica sem a dolorosa cirurgia de artrodese. Um trabalho que me permita fazer as refeições de 3 em 3 horas, que me orgulhe e que valha a pena. 
Esse é um momento meu para estabelecer novos caminhos. Mas não posso deixar de lado o diabetes, o emagrecimento ou as pessoas que mais amo: minha família. Está tudo muito misturado e preciso fazer a coisa certa!
E termino com um pensamento:

“Saúde é ter tempo e disposição para lutar pelos seus sonhos.” 

Beijos e saúde para todos,

Advertisements

7 thoughts on “SAÚDE FÍSICA E EMOCIONAL”

  1. Olá, tudo bem? “Passeando” pela net, achei seu blog e, já de início, quero te dizer que o achei muuuito bom! Como uma luz para mim.
    Minha mãe descobriu que tem essa síndrome de hipoglicemia faz pouco tempo… Com o exame da curva glicêmica que, não sei por qual motivo, os médicos tem tanta dificuldade de passar e identificar “de cara” isso. Minha mãe descobriu com um Otorrino, vejam só! Porque já não aguentava mais de tanta tontura e achou que fosse labirintite, aliás, até a nutricionista achou que fosse labirintite de início.
    Pois bem, a partir daí, estamos bastante preocupados com os sintomas dela e isso vira o foco da vida da pessoa, o assunto da casa!!! Há dias em que não dormimos de tamanha preocupação.
    Queria te pedir uma orientação sobre o que fazer, algumas dicas…
    É normal todos esses sintomas de: um cansaço fora do comum, esgotamento físico mesmo que passa a se tornar mental, irritação, tontura, náuseas?????
    Andei lendo a opinião de algumas pessoas e me parecem os mesmo sintomas.
    Enfim, vim pedir uma ajuda, uma luz e espero que possamos ficar menos preocupados.
    Muito obrigada, sorte a todos. Fiquem com deus.
    Abraços, Tabita.

    Like

  2. Olá Talita,

    Vi seu comentário e fiquei muito contente por ter gostado do blog. Minha intenção é falar do diabetes, das hipos e como é a vida para quem de vez em quando fica meio fora do ar. Pelo que vc contou, sua mãe tem os sintomas clássicos da hipoglicemia. É preciso confirmar com a medição da glicemia. Solução para isso, se ela não é diabética, é se alimentar de 3 em 3 horas pelo menos. Isso tende a manter a taxa em ordem (próximo a 100). Mas pode ser que um pouco dos sintomas sejam devido a outras causas. Só um médico mesmo para avaliar e preescrever. De qualquer forma, espero ter ajudado a acalmar o espírito pois cuidar de quem se ama é uma missão de muito amor! Parabéns pela preocupação. conte comigo e vamos nos falar mais! beijos

    Like

  3. Olá Sheila, tudo bem? Retornando ao seu blog… Gostaria de parabenizar pela força de vontade e pelas suas mudanças.
    Pelo que pude perceber, ter alguns probleminhas com a glicemia, é algo em que a pessoa precisa mudar seu estilo de vida, adaptar – se a coisas novas. Achei muito interessante quando você comentou sobre “se alimentar para viver e não o contrário”. Pesquisei muita coisa na net já sobre hipoglicemia, olhei alguns blogs…
    Alguns sintomas me parecem comuns as pessoas que tem isso. Observei que, algumas pessoas, tendem até a ficar deprimidas no começo. Era o que estava acontecendo com a minha mãe aqui em casa, como te disse no comentário anterior, é difícil para a pessoa e para os parentes conviverem com tanta irritação, essas tonturas, mal estar, e ah! Íncrivel como, no período, além de irritada, a pessoa fica bem esquecida, né? Um pouco “aérea”… Parece ser comum aos sintomas.
    Enfim, estamos na luta. Ela já faz exercícios físicos regulares há vários anos, sempre teve uma dieta equilibrada, mas agora está beeem mais rígida. Cortou o açúcar mesmo! Não coloca nem adoçante! É muito disciplinada. Procuramos nutricionista e endocrino, mas ainda vamos procurar outros para pedir opiniões médicas, sempre bom.
    É realmente uma missão de muito amor cuidar de quem se ama. Passei de filha para mãe, hêhêhêhêhê. Espero que as coisas possam se reestabelecer com o tempo. E você, como andam a dieta e os exercícios, tudo de boa?
    Você tem algum email particular?
    Um abraço a todos. Sorte na “luta” sempre. Fiquem com Deus.
    T.

    Like

  4. Olá Sheila, tudo bem?
    Como está sua “luta”? Hêhêhê. Continuo ajudando/informando minha mãe diariamente, no começo é muito difícil. Para todos, né.
    É uma adaptação e tanto na rotina diária.
    Você continuando andando de bike? Também ando aqui na minha cidade.
    Boa semana a todos, um abraço. Fiquem com Deus.
    “T”.

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s