situações especiais

DIABETES EM CIRURGIAS

Agora, depois de velha, é que percebi o pavor que tenho por uma coisa chamada cirurgia. Acho que tudo começou com as cesáreas. Mesmo sabendo que viriam dois lindos seres ao mundo…a iminência das cirurgias me fizeram perder o sono. Lembro da primeira cesárea, tudo muito rápido e assustador. Fui para o centro cirúrgico acompanhada por minha médica da diabetes que tinha como responsabilidade manter meus níveis de glicemia sob controle. Eu achava que tinha que contratar um profissional extra para garantir este controle enquanto eu estivesse neste processo de operação. Na segunda vez que enfrentei este desafio fiz a mesma coisa, pedi o acompanhamento da minha endocrinologista e me senti mais segura mesmo.

Quando no ano passado sofri com a crise da hérnia e o médico disse que eu poderia ter que operar…fiquei em pânico. Daí minha dedicação no tratamento convencional de fisioterapia, acupuntura e RPG e me livrei da cirurgia. Mas quando caí em janeiro deste ano…não deu para escapar. Lembro que nem tive tempo de ficar em jejum, nem nada. Devo ter entrado na cirurgia com 150 ou mais. Mas descobri que ao saberem que eu era diabética a própria equipe de enfermagem ficou monitorando minha glicemia. Isso me deixou mais tranquila. Se bem que quando as enfermeiras demoravam um pouco e eu me sentia meio estranha eu fazia o teste por conta própria.

Ontem precisei enfrentar mais uma cirurgia para a retirada de uma âncora de fixação (igualzinha as da foto acima)  que foi usada para o tornozelo. A ferida não fechou desde janeiro e precisei abrir novamente uma das cicatrizes. Fui em jejum para o hospital com glicose em 136. OK, pensei, vai dar para aguentar até a cirurgia. Não tomei a insulina e medi de hora em hora. Quando voltei da anestesia medi e estava ainda em 160. Então tomei a lantus para voltar ao controle da situação. Duas horas depois…tava 80. A enfermeira liberou o lanche. Como eu pulei o café da manhã e o almoço e cai direto no lanche de hospital, uma hora depois eu estava com 60. A enfermeira mandou reforço e saí de lá quando alcançei a marca de 102. Tive alta.

É dura a vida de diabético. Além dos riscos da própria cirurgia ainda temos que controlar todo o resto. Mas deu tudo certo. Bem… estou novamente sem pisar no chão mas só por alguns dias. Levei pontos e vai começar tudo de novo a história da cicatrização. Mas eu “guento”!!! bjs

Advertisements

2 thoughts on “DIABETES EM CIRURGIAS”

  1. OI

    É um prazer para mim trocar experiências com outros diabéticos, esteja à vontade para postar meus relatos e materias no seu blog, agora ja sou um seguidor, se quiser seguir meu blog também ta lá o ícone é só clicar.

    beijos

    Like

  2. Oi

    Hoje resolvi contar para vocês o dia em que eu tive minha primeira grande hipoglicemia.
    Eu tinha acabado de descobrir que havia entrado de vez no mestrado, foi o aniversário do meu tio no clube Wolf. Como gosto muito de dançar, minha prima que também adora um forró, dançamos a noite toda. Eu comi alguns doces, só que minha glicose tava meio descontrolada(muito alta), entao tive que manerar no doce naquela noite.
    No outro dia de manhã, fiz(religiosamente) o meu ritual, 5:55 da manhã levanto e aplico insulina Lantus uma vez ao dia, fui tomar o café da manhã.
    Café com leite e 4 fatias de pão integral com queijo.(Leve porém suficiente, eu pensava).
    Meu Tio que sempre acorda cedo para levar a cachorrinha Lupita para fazer xixi, deu bom dia, eu respondi e disse que tava cansado e ia voltar para cama.
    Ele estranhou o meu semblante.
    Pronto só me lembro de quando cheguei no quarto e liguei na televisao.
    A partír daqui o que vou relatar soube pelos meus tios, visto que não tinha consciência de nada, foi um inicio de coma.
    “Comecei a me bater e balbucear sem falar coisa com coisa, como se soprasse palavras. Meu primo que estava no quarto ouvio e acordou assustado, no inicio pensou que eu estivesse brincando, mas depois viu a minha face toda estranha, os olhos revirados e me batendo na cama, com a parte de cima na cama e os pés no chão.
    Ele correu desesperado chamando por ajuda, meus tios logo vieram. Foi um caos, desesperdos falaram para me levar para o hospital, -Trás sal disse minha tia, mas meu tio disse que tinha que ser açúcar, emu primo correu pegou o açucareiro e colocaram na minha boca eu colocava para fora(poderia ter morrido engasagado, em caso de erstar sem consciência, deve-se esfregar açúcar na região interna da minha boca) mas eles nao lembravam, entao colocaram pingos de suco para diluir o açucar,isso eu caia no chão, pois 80 kg não é fácil de segurar,a acabei como estava tendo convulsões quebrando o óculos de minha tia, comecei a ficar com a boca e os dedos arroxeados, meu tio desesperado começou a fazer massagem cardíaca (ele ja foi coronel da aeronáutica), foi ai que começa minha agonia(pois até então eu não sentia nada, só eles sofriam).
    COMECEI A ENXERGAR TODOS AO MEU REDOR, E VENDO AS FACES ASSUSTADAS DE TODOS, ME ASSUSTEI, PENSEI SERÁ QUE ESTOU TENDO UM SONHO(pesadelo),COMECEI A SENTIR AS PESSOAS, POIS ATÉ ENTÃO O TOQUE EU NÃO SENTIA, PARECIA QUE EU ERA UM BOLO DE CARNE, NOTEI QUE MEU TIO FAZIA MASSAGEM EM MEU PEITO, FIQUEI CADA VEZ MAIS DESESPERADO, ATÉ QUE SENTI UM POUCO DE DOCE CORRENDPO NA MINHA GARGANTA, E PENSEI PRONTO ESTOU COM HIPOGLICEMIA, ELES JA ME DERAM DOCE E DAQUI A POUCO VAI FICAR TUDO BEM. RE PEPENTE A AUDIÇÃO VOLTA E EU ESCUTO: -LEVA ELE PARA O HOSPITAL. -TAS BEM ATHAYDE? – SE TIVER FALA, SÓ QUE MINHA VOZ NÃO SAÍA EU QUERIA FALAR E NÃO CONSEGUIA, QUERIA ACALMAR TODOS, ATÉ QUE CONSEGUI LEVANTAR O BRAÇO E MEU PRIMO DISSE: -ELE ESTÁ VOLTANDO.
    FUI VOLTANDO AO NORMAL AOS POUCOS, NAQULE DIA NÃO SAÍ DE CASA.
    FOI A PIOR EXPERIÊNCIA QUE EU PODIA TER.
    ATÉ HOJE ELES FICAM PREOCUPADOS, MINHA TIA AS VEZES VAI AO MEU QUARTO VER SE EU ESTOU RESPIRANDO QUANDO ESTOU DORMINDO.
    A DIABETES, PRINCIPALMENTE A DO TIPO 1 EXIGE PRUDÊNCIOA E ATENÇÃO COM OS HORÁRIOS DE REFEIÇÃO E APLICAÇÃO DE INSULINA, SEM FALAR DAS MEDIÇÕES CERCA DE 5 VEZES AO DIA COMO UM GLICOSÍMETRO.
    AS VEZES ME REVOLTA UM POUCO POIS QUERIA SER NORMAL, É MUITO RUIM, VOCÊ TER QUE ESTAR ATENTO 24 HORAS POR DIA NO SEU ESTADO DE GLICOSE, NEM DIREITO A DORMIR FORA DE HORA, TIPO UM COCHILO EU TENHO, POIS TEMO EM PASSAR MAL.

    ABRAÇOS

    ATHAYDE LEITE

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s