complicações, filhos

DIABETES: NOSSO ADVERSÁRIO DIÁRIO

” – É como um jogo de xadrez que dura a vida inteira!”
Acabo de ler a mais perfeita definição da Diabetes, feita por Alexei Ângelo Caio, engenheiro, diabético tipo 1 numa entrevista à revista Veja em 2003 clique no link: http://veja.abril.com.br/290103/p_076a.html.

É…faz tempo. Mas não é mesmo que venho percebendo minha fase com a doença atualmente como um jogo. Tanto que nós anotamos os resultados de cada partida, todos os dias, às vezes 3 ou 4 vezes ao dia. Um dia meu filho de 4 anos e minha filha de 11 estavam na mesa para o almoço. Como de praxe, fiz meu teste e anotei o resultado. Perguntei se queriam fazer o teste também e o menor logo aceitou. Meninos adoram jogos! Resultado: 80. Ele estava ganhando. Ela não ficou por menos e também venceu o medo da picada para disputar na glicemia. Como ela é meio gulosa o resultado deu 110. Fiquei meio preocupada mas ela tinha acabado de comer um doce. Depois disso, toda a vez que meu filho me vê fazendo o teste ele pergunta:

” – Você ganhou? “

E aí eu entendi que mesmo sem ter gente disputando comigo, os resultados são como lances que damos com nossas peças. Quando não faço a medição. Então a doença vence por WO. Quando faço e está bom, eu venço. Quando está alto, a doença vence e avança sobre o território inimigo. Eu preciso contra-atacar com uma injeção de lispro imediatamente. E assim vamos conquistando pequenas vitórias. Às vezes podemos sucumbir a uma torta de chocolate e podemos achar que perdemos a guerra. Que de nada adianta mais… Mas foi uma batalha só. Não vamos entregar o jogo ao inimigo. Ele é perverso demais. Nós sabemos disso. E ainda há munição extra com os novos avanços da ciência para que possamos sair dessa sãs e salvos.

Ainda sobre esta metáfora do jogo, vi outro dia no Programa do Jô uma entrevista com o escritor José Louzeiro. Há muito tempo eu o entrevistei, quando ainda estudava jornalismo na UFRJ ( foto:Manoel Paulino). Descobri que ele ficou diabético e devido à doença sofreu amputações. Fiquei muito triste, assustada e senti-me solidária à sua dor. Mas ele mantém a energia e a força que me impressionou no passado. Estou tentando encontrar e ler seu livro sobre a doença: DIABETES: INIMIGO OCULTO.

Depois que eu ler, emito minha opinião, tá bem?

Beijos e até mais, companheiros de trincheira!

Advertisements

1 thought on “DIABETES: NOSSO ADVERSÁRIO DIÁRIO”

  1. Sheila, adorei teu blog, parabéns…
    Também sou diabética há 10 anos, uso a Lantus e a lispro humalog 100, faço testes diários e faço contagem de carboidratos. Eu entendi tudo que escreveu aqui. Realmente são casos muitos semelhantes, adorei o da hipo, é eu tb fico esperando, depois eu como…Agora procuro mudar este comportamento e peço licença sem problema algum pra fazer um lanche.Principalmente na faculdade, estou eu e minha bolsa com insulinas, hgt e lanches…
    Sheila adoraria conversar ctg. É uma luta, mas é tb uma felicidade.Meu e-mail é sabrininhawie@hotmail.com. Abraçoss

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s